CONHEÇA E AME O SEU GATO

Conselhos e cuidados para a boca do gato

13 Junho 2021

Os gatos podem sofrer de várias doenças na boca sem que o seu dono seja ciente disso, e algumas delas podem tornar-se aparentes quando já é tarde demais para as remediar. Portanto, é melhor aplicar medidas preventivas para as detetar e remediar antes que progridam.

Quando o nosso gatinho é muito jovem, devemos habituá-lo a ser manipulado em todas as partes do corpo para que possamos explorá-lo com frequência. No começo, ele pode não gostar, protestar e até tentar morder-nos, mas podemos fazer com que ele nos deixe abrir-lhe a boca, tocar os seus olhos e ouvidos, virá-lo de costas, apalpar a sua barriga  e extremidades, se o propusermos como um jogo e, de seguida, lhe oferecermos recompensas sob a forma de brincadeiras, festinhas ou comida. Devemos sempre começar pouco a pouco para ver até onde ele tolera, e continuar até conseguirmos que ele seja manipulado sem problemas. Assim, em pouco tempo, podemos verificar todas as partes do seu corpo e também facilitaremos o trabalho do veterinário quando o levarmos às suas revisões.

É muito importante cuidar dos dentes dos gatos. Com o tempo e sem cuidados, eles acumulam placa bacteriana e tártaro, o que causa gengivite, mau hálito, dor ao comer e perda de dentes. O ideal seria habituar o gato à escovagem dental diária desde uma tenra idade, mas nem todos se habituam. Se se adaptar bem, e nos deixar, é perfeito mas, se for uma luta diária e um estresse contínuo para o gato e o proprietário, a placa e o tártaro podem ser evitados com produtos mastigáveis ou aditivos específicos para a água potável. Em animais cuja camada de tártaro já está muito avançada, será necessário aplicar anestesia geral e tratamento odontológico específico, pois essas doenças dentárias representam um alto risco de desenvolvimento de infecções crónicas sistémicas que se podem espalhar, por exemplo, para os rins ou válvulas cardíacas.

A revisão periódica da boca dos gatos também permite a deteção precoce de tumores na boca, que nesta espécie são mais propensos a serem malignos; portanto, quanto mais cedo forem diagnosticados e tratados, melhores prognósticos terão.

Outra doença comum que pode afetar a cavidade oral dos gatos é a infecção por calicivirus, que causa rinite, conjuntivite e úlceras muito dolorosas na boca. Na sua forma crónica, produz poliartrite em alguns casos. Os gatos domésticos adequadamente vacinados geralmente não sofrem com isso, a menos que tenham alguma patologia que afete as suas defesas, nesse caso devemos estar alerta para o aparecimento de sintomas.

De qualquer forma, os gatos precisam de ir ao veterinário regularmente para que ele possa realizar uma revisão completa e, assim, garantir que a sua saúde é adequada e detetar a tempo qualquer problema que possa ser resolvido antes que seja tarde demais.