Header Academy

O vínculo entre o gato e o seu dono

Há cada vez mais famílias que têm gatos como animais de estimação. Provavelmente isso acontece porque o conhecimento sobre o seu temperamento e comportamento tem avançado muito nos últimos anos, e os seres humanos são cada vez mais capazes de dar aos gatos aquilo de que eles precisam para que possam desenvolver uma vida satisfatória. Por outro lado, a vida urbana impôs-se definitivamente à rural, e as pessoas que vivem nas cidades são mais propensas a ter gatos, porque têm menos tempo livre para levar um animal de estimação à rua, como é necessário no caso dos cães. E, por outro lado, as cidades têm menos espaços verdes.

No entanto, o gato é um animal doméstico que não vive assim há tanto tempo com o ser humano (9.500 anos, em comparação com os 19.000 a 32.000 anos dos cães). Portanto, diz-se que o gato é menos neotenizado, ou seja, é menos adaptado à convivência com as pessoas e ainda retém esse "lado selvagem".

As pessoas que têm um ou mais gatos em casa desenvolvem um forte vínculo com eles, passando a considerá-los parte da sua família. Interagem com eles frequentemente: alimentam-nos, brincam com eles, abraçam-nos e acariciam-nos e aproveitam os momentos de relaxamento no sofá onde o contato físico e o ronronar fortalecem esse vínculo. Por parte das pessoas, esse vínculo é mais fácil de medir, porque eles são capazes de verbalizá-lo (embora outras técnicas possam ser aplicadas, como a medição dos níveis de oxitocina, como foi feito em estudos com cães). No entanto, do ponto de vista do gato, esta ligação não é tão clara ou comprovada. Em cães, foi demonstrado que eles desenvolveram mecanismos como a dilatação da pupila ou o desenvolvimento dos músculos faciais para adotar expressões que estabelecem uma conexão emocional real com o dono e foi realizada a medição dos níveis sanguíneos de oxitocina. Mas isso ainda não foi demonstrado em gatos. Muitos dos seus comportamentos (esfregar-se nas pernas ou miar para pedir comida, por exemplo) são na verdade interações em que eles tentam obter algo do seu dono que geralmente não é amor verdadeiro, mas que as pessoas tendem a "humanizar" para acreditarmos que eles também gostam de nós. No entanto, no fundo, sendo relações positivas, podemos dizer que existe uma ligação poderosa entre o gato e o seu dono, a quem ele tem como referência.

E agora, que estamos no verão, queremos ressaltar que este é o momento em que a maioria dos abandonos ocorre porque as pessoas vão de férias e enfrentam um dilema que não teriam anteriormente. Vão a destinos onde o gato ou o cachorro não podem estar e dão preferência às férias. Assim, muitas pessoas que não têm nem consciência nem vínculo real com o seu animal de estimação, preferem abandoná-lo. Este é um ato de enorme crueldade, já que o deixam à mercê de um ambiente hostil, sem comida ou bebida, sem proteção, sem saber como se defender e expostos a uma infinidade de perigos, inclusive abusos. Neste momento, gostaríamos de aumentar a consciência de todos os donos de animais sobre o abandono: há sempre, sempre, muitas opções antes de chegar a esse extremo. Falaremos sobre isso depois. Enquanto isso, desejamos-lhe um feliz verão.

Mais Sanicat Academy

O Maine Coon, o perfeito

O Maine Coon, o perfeito

Go to O Maine Coon, o perfeito
Conselhos para que o seu gato tenha uma caixa perfeita.

Conselhos para que o seu gato tenha uma caixa perfeita.

Go to Conselhos para que o seu gato tenha uma caixa perfeita.
Abissínio

Abissínio

Go to Abissínio